Residência para Coletivos 2019

Residência para Coletivos 2019

banner
1/1

Inscrições encerradas

A Residência para Coletivos acontece desde 2015 e tem o objetivo de incentivar práticas coletivas que pertençam ao campo ampliado da cultura. Essas práticas, ligadas a corpos coletivos, nem sempre são contempladas em premiações e editais, muito embora se mostrem cada vez mais importantes e numerosas, sobretudo em contextos políticos adversos. 


2019: uma convocatória para a América do Sul

Em 2019 alargamos o raio da chamada para todos os países desta ficção geográfica que é a América do Sul. Alargar a chamada para alargar também os cruzamentos, sobreposições, interferências e contaminações de experiências artísticas, sociais e políticas possíveis – e impossíveis. Neste ano, o foco será em propostas artísticas, entendendo “artístico” dentro do campo ampliado da cultura. Para tanto, convidamos qualquer forma de agenciamento coletivo a enviar propostas para a Casa do Povo. 


As propostas não precisam ser projetos fechados, mas ideias em construção e/ou exercícios de imaginação a serem realizados em uma ou mais “plataformas do comum” presentes na Casa do Povo: a cozinha, a biblioteca e o jardim. Leia atentamente a convocatória antes de se inscrever.


COMO PARTICIPAR

Acesse a convocatória em PORTUGUÊS

Acesse a convocatória em ESPANHOL

FICHA DE INSCRIÇÃO

Inscrições encerradas




RESULTADO DA CONVOCATÓRIA 


Agradecemos a todos os grupos inscritos na convocatória da Residência para Coletivos, que acontece desde 2015, mas que nesse ano expandiu a chamada para a América do Sul. Foram recebidas 106 propostas de diferentes países, cidades, povoados e comunidades imaginadas do continente. Algumas vindas também das outras Américas, Central e do Norte, que infelizmente não puderam ser contempladas nessa ocasião. A qualidade das propostas e a diversidade das práticas coletivas ampliaram o entendimento da Casa do Povo e dos jurados sobre grupos artísticos atuantes, com alguns dos quais esperamos poder trabalhar em breve.



Coletivo selecionado

Legítima Defesa (São Paulo, Brasil)


O Legítima Defesa é um coletivo que abrange atividades artísticas, intelectuais, poéticas e políticas acerca da imagem da negritude e seus desdobramentos sociais históricos. Segundo o grupo selecionado,  “não podemos ignorar o fato de que no Brasil a escravidão é estrutural e estruturante”. Diante desse quadro, o Legítima Defesa irá desenvolver a proposta AMEFRICANIDADES, um espaço transversal de criação e reflexão de um outro olhar possível sobre a sociedade brasileira, a partir das experiências de negrxs e amerídixs.



Prêmio especial do júri

Laagencia (Bogotá, Colômbia)


 Foi decidido outorgar ao coletivo Laagencia um prêmio especial, que não  contempla o grupo como residente, mas oferece uma viagem de pesquisa à São Paulo para parte de seus integrantes. O Laagencia propõe pensar as relações Sul-Sul a partir de processos de arte+educação, sempre coletivamente, criando desestruturas e inventando pedagogias críticas que desbordem o sistema artístico, somando outros atores e práticas. 



Menção honrosa

Juntas na Luta (São Paulo, Brasil)


 O júri oferece uma Menção honrosa ao coletivo Juntas na Luta pela proposta de uma residência que articula diferentes territórios da cidade de São Paulo e por realizar desde 2012 um trabalho de troca de saberes, redes de cuidado e práticas de empoderamento feminino verdadeiramente transformadores. A equipe da Casa do Povo está em contato com o coletivo para pensar ações conjuntas e parcerias possíveis.



O júri foi composto por: Amanda Rahra (Escola de Jornalismo da Énois), Cláudio Bueno e Carol Tonetti (O grupo inteiro), Ana Druwe, Laura Viana e Marilia Loureiro (Casa do Povo).



1/3
  • Outubro 2019
  • Abril 2019
  • Maio 2019
  • Junho 2019
  • Julho 2019
  • Agosto 2019
  • Setembro 2019