Programação

GE de Peito Aberto
Edição especial

GE de Peito Aberto
Edição especial

1
1/1

25 de julho a 

11 de agosto / 2018

Confira a programação

Foto: Só se me dormirem, de Karlla Girotto


O GE [grupo maior que eu] é um grupo de estudos e pesquisas em processos criativos coordenado pela artista Karlla Girotto e situado na Casa do Povo.

O grupo teve início em 2013 a partir do desejo de construir um ambiente de experimentação propício a novos modos de encontro e de produção. As investigações se manifestam por meio de uma política da imaginação. Dizemos política porque investigamos como organizar os recursos, as práticas, os espaços e a vida que partilhamos; imaginação porque destina-se à formação de ideias e imaginários - sobre como fazer e como manter a potencia criativa viva e ativa. 


É neste contexto que se dá o GE de Peito Aberto, um programa bimestral cuja ênfase é a abertura de processos e pesquisas de artistas-etc. Com a colaboração do também artista-etc Bruno Mendonça, pela primeira vez pretendemos fazer uma ação intensiva deste programa. Entre os dias 25 de julho e 11 de agosto vários convidados apresentarão trabalhos, processos e pesquisas ao público. No dia 11, o encerramento coincide com a festa de 65 anos da Casa do Povo. 


Para este movimento, o grupo convida artistas e pesquisadores inquietos que tem uma estreita relação com a linguagem da performance e com noções de performatividade em suas produções.


25 de julho

18:00 - Teresa Siewerdt & Pablo Paniagua

20:00 - fala e lançamento do Zine Siririca de/com Caróu Dickinson; part. Bruna Kury e Karen Ka. 


26 de julho

20:00 - Chocalho de Cabeça de/com Camila Valones

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio 


27 de julho

19:15 - Chocalho de Cabeça de/com Camila Valones

20:15 - Posição de Armazenamento de/com Thiane Nascimento

21:00 - Hidebehind de/com Josefa Pereira

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio


28 de julho

17:00 - Ativação de/com Ricardo Càstro 

19:00 - Senhora D criação colaborativa Glamour Garcia e X

20:00 - Lambateca com Carlos Monroy

21:00 - Pedro Gallego


31 de julho

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio


01 de agosto

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio


02 de agosto

19:30 - Mobsoul de/com Ana Dupas & Allyson Amaral

21:30 - Senhora D criação colaborativa Glamour Garcia e X

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio


03 de agosto

20:00 - Suzy Okamoto


04 de agosto

14:00 ás 19:00 - Remiqui com Ad Ferrera

20:00 - Chocalho de Cabeça de/com Camila Valones

21:00 - BOCA DE CABELO é Bruno Mendonça & Jjoao Paes com colaboração de Feilpe Caprestano


07 de agosto

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio


08 de agosto

15:00 - Fleshion_Oficina com Ana Dupas & Juliana França & Thelma Bonavita (nuvem)

19:30 - Fala com Catarina Duncan & Rodrigo Vaz

21:00 - + Morgana Apuama

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio 


09 de agosto

19:00 - Zona Morta de/com Carla Boregas

20:30 - Só se me dormirem de/com Karlla Girotto

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio


11 de agosto

19:00 - Próloga

20:30 - Vicente Perrota

21:00 - Tinta Preta 

no decorrer do dia - Clinica de Análise Política com Caio


PERMANENTE: Xu (Eduardo Schuetze) e IDIOTAS'Bar


organização: GE [grupo maior que eu]

edição: Bruno Mendonça e Karlla Girotto

comunicação visual: Ad Ferrera

assistente: Mariane Lima

colaboração: Giba DuarteOtávio BarataAna Dupas

apoio: Casa do Povo

serviço: Idiota's Bar

A programação da Casa do Povo amplia a noção de cultura, incorporando, além das práticas artísticas, diversas atividades como práticas corporais e de cuidado com a saúde. O código de cores, filtros e tags no site auxiliam a localização desse emaranhado de pessoas e iniciativas. Porosa, mutante e crítica, a programação permite que a instituição possa se estruturar sem se engessar, reinventar-se sem se precarizar, internacionalizar-se sem perder sua atuação local, para, enfim, experimentar outras formas de existência.

Atividades regulares

Cursos
Busca-se oferecer uma programação que desperte interesse no bairro e no Povo da Casa, a partir de práticas originais e acessíveis (para quem oferece, para quem acolhe e para quem frequenta).


Grupos de estudos
Em diálogo com os eixos de trabalho da Casa do Povo, os grupos de estudo têm modos de funcionamento diversos, alguns focados em processos, discussões e leituras internas e outros capazes de se desdobrarem em programações públicas

Projetos

Obras comissionadas
A Casa do Povo convida artistas para desenvolverem trabalhos inéditos, adaptando sua estrutura física e garantindo a existência plena de cada projeto que realiza.


Publicações

Cada publicação é entendida como uma extensão dos projetos desenvolvidos e como parte da programação. 


Plataformas

Mesclando processos e resultados, discursos e gestos, produção artística e acadêmica, a Casa do Povo promove encontros sobre temas específicos em consonância com as urgências do presente.

A Casa acolhe

O Povo da Casa pode promover atividades públicas que integram a programação. Propositalmente descontínuas e flutuantes, essas atividades dialogam de forma estreita com os eixos de trabalho da instituição e ajudam a Casa do Povo a ser maior do que ela mesma, transbordando vida comunitária. 


Projetos e propostas podem ser enviados para o e-mail 

info@casadopovo.org.br e serão avaliados. Paralelamente, com o intuito de incentivar esse movimento, abre-se uma chamada aberta anual destinada exclusivamente a práticas coletivas.


Saiba mais como usar o espaço.

  • Filtrar
  • Atividades regulares
  • Obras comissionadas
  • Publicações
  • Eventos acolhidos
  • Plataformas
  • Ver todos
Nossa Voz
Nossa Voz

Nossa Voz é uma publicação da Casa do Povo. O jornal existiu junto à instituição, de 1947 a 1964, com textos em ídiche e português e um perfil editorial alinhado aos ideais de esquerda. Foi fechado pela ditadura militar, obrigando o seu editor-chefe Hersch Schechter e outros colaboradores a se exilarem. Foi relançado, em 2014, mantendo um diálogo com as suas premissas históricas e tendo seus eixos editoriais repensados. 


O comitê editorial conta com representantes das mais diversas áreas e se reúne regularmente para discutir as pautas que levam em conta a cidade, a memória e as práticas artísticas em consonância com a situação política atual.

A publicação tem distribuição gratuita e pode ser retirada na Casa do Povo durante o horário de funcionamento, nas instituições parceiras e em alguns estabelecimentos comerciais do bairro do Bom Retiro em São Paulo.


Acesse  as edições recentes abaixo.
Clique aqui para ver as edições antigas do Nossa Voz (de 1947 a 1964).