Programação

A programação da Casa do Povo amplia a noção de cultura, incorporando, além das práticas artísticas, diversas atividades como práticas corporais e de cuidado com a saúde. O código de cores, filtros e tags no site auxiliam a localização desse emaranhado de pessoas e iniciativas. Porosa, mutante e crítica, a programação permite que a instituição possa se estruturar sem se engessar, reinventar-se sem se precarizar, internacionalizar-se sem perder sua atuação local, para, enfim, experimentar outras formas de existência.

Atividades regulares

Cursos
Busca-se oferecer uma programação que desperte interesse no bairro e no Povo da Casa, a partir de práticas originais e acessíveis (para quem oferece, para quem acolhe e para quem frequenta).

Grupos de estudos
Em diálogo com os eixos de trabalho da Casa do Povo, os grupos de estudo têm modos de funcionamento diversos, alguns focados em processos, discussões e leituras internas e outros capazes de se desdobrarem em programações públicas

Projetos

Obras comissionadas
A Casa do Povo convida artistas para desenvolverem trabalhos inéditos, adaptando sua estrutura física e garantindo a existência plena de cada projeto que realiza.

Publicações

Cada publicação é entendida como uma extensão dos projetos desenvolvidos e como parte da programação.

Plataformas

Mesclando processos e resultados, discursos e gestos, produção artística e acadêmica, a Casa do Povo promove encontros sobre temas específicos em consonância com as urgências do presente.

A Casa acolhe

O Povo da Casa pode promover atividades públicas que integram a programação. Propositalmente descontínuas e flutuantes, essas atividades dialogam de forma estreita com os eixos de trabalho da instituição e ajudam a Casa do Povo a ser maior do que ela mesma, transbordando vida comunitária.

Projetos e propostas podem ser enviados para o e-mail

info@casadopovo.org.br e serão avaliados. Paralelamente, com o intuito de incentivar esse movimento, abre-se uma chamada aberta anual destinada exclusivamente a práticas coletivas.

Saiba mais como usar o espaço.

Assim elas comemoram a vitória Yael Bartana

Obras comissionadas

Assim elas comemoram a vitória é um neon que ocupa o hall de entrada do prédio da Casa do Povo criado pela artista isralense Yael Bartana a partir de uma pesquisa pelo arquivo da instituição.

50 tons de vermelho Rodrigo Andrade

Obras comissionadas

50 tons de vermelho (2018) traz variações dessa cor que, no campo político, alude historicamente a movimentos progressistas. A presença visual da obra também deixa rastros que contam sobre seu processo de realização.

Publicação Assim elas comemoram a vitória

Leia online / 2017

A publicação, coeditada com as Edições Aurora, é um desdobramento do trabalho de Yael Bartana criado a partir de uma pesquisa da artista pelo arquivo histórico da Casa do Povo.

Atendimentos Clínica Aberta de Psicanálise

Sábados, atendimentos das 11h às 15h / Atividade regular

Os atendimentos de psicanálise são gratuitos e por ordem de chegada. Uma lista é disponibilizada aos interessados no hall de entrada da Casa do Povo a partir das 10h30 com os horários disponíveis no dia.

Estudos do comum

13 a 16 de novembro / Projetos / 2019

O programa propõe reunir agentes que compartilham e reinventam diariamente a noção de comum em contextos e espaços diversos: o quilombo urbano Casa Tainã, em Campinas, o Instituto Procomum, em Santos, o Casco Art Institute, em Utrecht (Holanda) e a Casa do Povo, em São Paulo.

Fala, homem! Roda de conversa

Terças, 19h30 / Atividades regulares / 2019

A Casa do Povo acolhe o grupo Fala, homem! um espaço de conversa informal para homens que acreditam que desempenhar os tantos papéis que envolvem a masculidade pode ser uma tarefa complicada e que por isso é importante conversar.

Redação Aberta Énois Conteúdo

16 de outubro, 19h às 22h / Povo da Casa / 2019

Redação Aberta é um espaço de oficinas onde jornalistas e cidadãos se reúnem para discutir questões, compartilhar recursos e conhecimento e aprender a relatar e investigar histórias em seus territórios a partir do processo jornalístico.

Residência para Coletivos 2019

Inscrições encerradas. Acesse o resultado da convocatória

A Residência para Coletivos acontece desde 2015 e tem o objetivo de incentivar práticas coletivas que pertençam ao campo ampliado da cultura.  Acesse o resultado da convocatória.

Audioguia Passeio sonoro pelo Bom Retiro

Disponível em celulares com acesso à internet / Atividade regular

O trajeto de 55 minutos do audioguia começa e termina na Casa do Povo e percorre esquinas e ruas, comércios tradicionais, sinagogas e construções significativas para a história do bairro.

Treinos de Boxe Boxe Autônomo

Segundas e quartas, 18h e 19h30 / Atividade regular

Os treinos do Boxe Autônomo acontecem nas segundas e quartas-feiras em dois horários, às 18h e 19h30. As inscrições são presenciais.

Publicação Nossa Voz #1019

Leia online / Publicação anual

Nossa Voz é uma publicação da Casa do Povo. O jornal tem distribuição gratuita e pode ser retirado na Casa do Povo durante o horário de funcionamento. A versão online está disponível para leitura e download.

Metacozinha Vitor Cesar e Carol Tonetti

Obras comissionadas

A Metacozinha (2016) é o resultado de ideias e desejos que surgiram coletivamente: um espaço de descanso, um lugar de encontro, um suporte de objetos, um display para revistas, uma estrutura flexível, um objeto que se revela e se oculta.

Ioga

Sextas, 09h30 / Atividade regular

Em tempos acelerados, a prática de ioga desenvolve presença e atenção. Além de trabalhar foco e flexibilidade, o exercício regular tonifica e fortalece o corpo, a respiração torna-se mais consciente e o sono melhora.

Oficina Ateliê Vivo

Sábados, das 14h às 20h / Atividade regular

O Ateliê Vivo é uma biblioteca pública de modelagens disponibilizada aos sábados em um ateliê aberto. O público interessado em construir uma peça de roupa pode trazer seu próprio tecido e costurar a partir dos moldes e maquinários disponíveis.

Nossa Voz

Nossa Voz é uma publicação da Casa do Povo. O jornal existiu junto à instituição, de 1947 a 1964, com textos em ídiche e português e um perfil editorial alinhado aos ideais de esquerda. Foi fechado pela ditadura militar, obrigando o seu editor-chefe Hersch Schechter e outros colaboradores a se exilarem. Foi relançado, em 2014, mantendo um diálogo com as suas premissas históricas e tendo seus eixos editoriais repensados.

O comitê editorial conta com representantes das mais diversas áreas e se reúne regularmente para discutir as pautas que levam em conta a cidade, a memória e as práticas artísticas em consonância com a situação política atual.

A publicação tem distribuição gratuita e pode ser retirada na Casa do Povo durante o horário de funcionamento, nas instituições parceiras e em alguns estabelecimentos comerciais do bairro do Bom Retiro em São Paulo.

Acesse  as edições recentes abaixo.
Clique aqui para ver as edições antigas do Nossa Voz (de 1947 a 1964).

Leia online