Projects & Events

Maratona Errorista
Etcétera

Maratona Errorista
Etcétera

1
2
3
4
5
1/5

Obras comissionadas

2017

A prova de pedestres denominada Maratona Errorista é a primeira e última corrida desse gênero.

Está tudo errado! A delação é premiada; a tarifa aumenta; a velocidade é liberada; a violência também; o crack se tornou assunto policial; o tempo desaparece e só nos resta correr atrás do prejuízo. Quando está tudo errado… talvez seja o caso de errar ainda mais um pouco. Ação errorista já! Para des-acelerar São Paulo: o último que chegar, ganha!


REGULAMENTO

1 – A PROVA

1.1. A prova de pedestre denominada MARATONA ERRORISTA, proposta pelo coletivo Etcétera, doravante denominada EVENTO, é realizada no dia 29 de julho de 2017 na cidade de São Paulo, com a participação de PESSOAS DE QUALQUER GÊNERO, doravante denominadas ATLETAS-ERRORISTAS, independentemente da condição climática.
1.2. O EVENTO é uma REALIZAÇÃO da Casa do Povo, cujo projeto teve o apoio do Proac Espaços Independentes 2016. As inscrições são realizadas EXCLUSIVAMENTE de forma livre e espontânea no dia do EVENTO.
1.3. O EVENTO tem LARGADA na Rua Três Rios, 252 e CHEGADA no mesmo endereço, em frente à Casa do Povo, conforme o percurso improvisado na ocasião do EVENTO.
1.4. O início do EVENTO está previsto para as 15h com a entrega do kit atlético.
LARGADA: a partir das 16h em pelotão desorganizado. A ORGANIZAÇÃO solicita extrema atenção às chamadas do PERSONAL TRAINER COLETIVO na área de LARGADA para eventuais ajustes nos respectivos horários.

2 – DAS INSCRIÇÕES

As inscrições são feitas na hora, por ordem de chegada. A Casa do Povo disponibiliza 60 (sessenta) vagas para inscrição. O valor da inscrição é nulo.
a. A ORGANIZAÇÃO disponibiliza kits atléticos nos termos do item 3 deste regulamento.
b. Ao se inscrever no EVENTO o ATLETA-ERRORISTA o faz de forma pessoal e transferível, havendo possibilidade de transferência dessa inscrição para outro ATLETA-ERRORISTA.

3 – RETIRADA DE KIT ATLÉTICO

a. Além do NÚMERO DE PEITO, o ATLETA-ERRORISTA poderá receber:
- Jornal ERRORISTA do EVENTO;
- Cobertor ERRORISTA;

- Pedaços de pizzas;
- Outros.
b. O participante fica ciente de que a responsabilidade do uso indevido do cobertor é de sua exclusiva responsabilidade, bem como a escolha coletiva dos sabores da pizza ao final do EVENTO.
c. A entrega do kit atlético é realizada no dia do EVENTO na Casa do Povo.
d. Com o kit atlético, o ATLETA recebe instruções e o NÚMERO DE PEITO. Cada NÚMERO DE PEITO corresponde a uma das 48 LEIS DO PODER, extraídas do livro de cabeceira do Prefeito João Doria. A qualquer momento, o ATLETA-ERRORISTA pode ser convocado pelo PERSONAL TRAINER coletivo a ler a lei correspondente ao seu número, redigida abaixo do mesmo.

4 – CLASSIFICAÇÃO DO EVENTO E PREMIAÇÃO

a. A classificação dos ATLETAS-ERRORISTAS na prova é inversa à sua colocação (tempo/ordem de CHEGADA) e é anunciada no fim do EVENTO sem publicação posterior.
b. Todo ATLETA-ERRORISTA que completar o EVENTO tem direito à seguinte premiação:
- No EVENTO, entrega de um troféu para o último ATLETA-ERRORISTA que completar a prova.
- Como tudo em São Paulo, o EVENTO termina em pizza.

6 – REGRAS GERAIS DO EVENTO E CONSIDERAÇÕES FINAIS

a. O ATLETA-ERRORISTA que em qualquer momento propõe novas regras para este REGULAMENTO poderá ver essas mesmas regras acatadas pela ORGANIZAÇÃO.

b. A ORGANIZAÇÃO pode, conforme as necessidades do EVENTO, incluir ou alterar este REGULAMENTO, total ou parcialmente.

A participação do ATLETA-ERRORISTA no EVENTO é errada.

Criado no ano 1997 em Buenos Aires, o Etcétera conta atualmente com Loreto Garín Guzmán (Chile) e Federico Zukerfeld (Argentina), e, desde o princípio, atua no cruzamento de militância, poesia e teatro. Entre suas ações estão escrachos denunciando genocidas da ditadura militar argentina (1976-1983) e ativações artísticas ligadas aos movimentos sociais durante a crise de 2001. Conjuntamente à rede de artivistas, em 2005 fundaram o Movimento Internacional Errorista que, com senso de humor crítico de viés surrealista, exalta o erro como experiência fundamental de desvio às formas especulativas e racionalistas do capitalismo contemporâneo.

Casa do Povo's programming expands the notion of culture, incorporating a large array of activities beyond artistic practices - from health and caring to community issues. The code of colors, filters and tags on the website helps to navigate through this entanglement of people and initiatives. Porous, mutant and critical, the programming allows the institution to structure itself without becoming rigid, to reinvent itself without growing precarious, to internationalize without giving up its local relevance, that is, in order to experiment with other forms of existence.

Regular activities

Courses
We strive to offer a lineup of courses that pique interest in the neighborhood and in Casa do Povo’s groups in residence, based on original and accessible practices (for those who offer, those who welcome and those who attend).


Study groups
In dialogue with the institution's axes, the study groups have various operational modes, some focused on internal processes, discussions and readings and others capable of overlapping into public events programming.

Projects

Commissioned works
Casa do Povo invites artists to develop new works, adapting its physical structure and guaranteeing the full operational existence of each project held here.


Publications
Each publication is understood as an extension of the projects developed and as a part of the events schedule.


Platforms
Combining processes and results, discourses and actions, artistic and academic work, Casa do Povo promotes encounters based on specific themes according to the urgent issues of the day.

Hosted events

Groups in residence can promote public activities that become part of the events schedule. Deliberately discontinuous and fluid, these activities establish close dialogues with the institution's work axes and help make Casa do Povo larger than it is, overflowing with community life.


Projects and proposals can be sent to info@casadopovo.org.br for assessment. At the same time, with the intention of encouraging this movement, an annual open call dedicated exclusively to collective practices has been launched.


Learn how to use the space.

  • Filter
  • Regular activities
  • Commissioned works
  • Publications
  • Hosted events
  • Past events
  • See all
Nossa Voz
Nossa Voz

Nossa Voz is a publication by Casa do Povo. Literally “Our Voice,” the newspaper existed alongside the institution from 1947 to 1964, with texts in Yiddish and Portuguese and an editorial profile aligned with left wing ideals. It was shut down by the military dictatorship, which forced editor-in-chief Hersch Schechter and other contributors into exile. Relaunched in 2014, it continues to dialogue with its historical premises while rethinking its editorial directives.


The editorial committee relies on representatives from a wide variety of areas, meeting regularly to discuss issues concerning the city, memory and artistic practices according to the current political situation.

The publication is distributed free of charge and can be obtained at Casa do Povo during hours of operation, at partner institutions and some commercial establishments in the neighborhood of Bom Retiro in São Paulo.


Access recent issues below.

Click here to see old issues of Nossa Voz (1947-1964)