Projects & Events

Exibição Ex-Pajé
Cura Bra Cura Té

Exibição Ex-Pajé
Cura Bra Cura Té

expaje
1/1

Exibição Ex-Pajé

28 de junho

20h


Exibição Auto de Resistência

12 de julho

20h

No contexto da instalação Cura Brá Cura Té, parte da exposição Sopro, que acontece na Pinacoteca do Estado de São Paulo até 15 de julho, a Casa do Povo acolhe o artista Ernesto Neto para duas sessões de filme com debates nos dias 28 de junho e 12 de julho.


Programação


28 de junho, 20h

Exibição do filme Ex-Pajé, de Luiz Bolognesi, seguido de uma conversa com Carlos Papá Mirim, Cristine Takuá, Luiz Bolognesi e Pastor Ariovaldo Ramos


Até o contato do povo Paiter Suruí com os brancos, em 1969, Perpera era um pajé poderoso. Após a chegada dos brancos, um pastor evangélico afirma que pajelança é coisa do diabo e Perpera perde seu papel na tribo, passando a viver com medo dos espíritos da floresta. Mas quando a morte ronda a aldeia, o poder de falar com os espíritos pode novamente ser necessário.


Sobre os participantes da conversa


Carlos Papá Mirim

É pajé e cineasta indígena do povo Guarani Mbya. Trabalha há mais de 20 anos com produções audiovisuais, com o objetivo de fortalecer e valorizar a cultura guarani mbya por meio da realização de documentários, filmes e oficinas culturais para os jovens. Também atua como líder espiritual em sua comunidade. Vive na aldeia do Rio Silveira, onde participa das decisões coletivas e busca ajudar a sua comunidade a encontrar caminhos para viver melhor. É  Conselheiro do Instituto Maracá.


Cristine Takuá

Filósofa, educadora e artesã indígena, vive na aldeia do Rio Silveira.Na comunidade do Rio Silveira é professora da Escola Estadual Indígena Txeru Ba’e Kuai’ e também auxilia nos trabalhos  espirituais na casa de reza. É também Fundadora e Conselheira do Instituto Maracá e represente por SP na Comissão Guarani Yvyrupa (CGY). Também é representante do núcleo de educação indígena dentro da Secretaria de Educação de SP e membro fundadora do FAPISP ( Fórum de articulação dos professores indígenas do Estado de SP.


Luiz Bolognesi

É roteirista e diretor de cinema. Escreveu e dirigiu o longa-metragem de animação Uma História de Amor e Fúria (2013), dirigiu o curta Pedro e o Senhor (1995) e co-dirigiu os documentários Cine Mambembe, O Cinema Descobre o Brasil (1999), A Guerra dos Paulistas (2002), Lutas.doc (2011), Educação.doc (2014) e Juventude Conectada (2015). Como roteirista, escreveu os roteiros dos filmes Bicho de Sete Cabeças (2001), O Mundo em Duas Voltas (2006), Chega de Saudade (2007), Terra Vermelha (2008), As Melhores Coisas do Mundo (2010) e Amazônia, Planeta Verde (2014), que receberam prêmios em diversos festivais.


Pastor Ariovaldo Ramos

Líder da Comunidade Cristã Renovada, ex-presidente da Associação Evangélica Brasileira e um dos fundadores da Frente de Evangélicos Pelo Estado de Direito, uma resposta ao grande número de crentes que defendem a justiça, o direito e a democracia.



Próxima sessão

12 de julho, 20h

Exibição do filme Auto de Resistência, de Natasha Neri e Lula Carvalho


Agradecimentos

Buriti Filmes, Fortes D'Aloia e Gabriel, Pinacoteca do Estado de São PauloEmpanadas Rincon Dona Flora

Casa do Povo's programming expands the notion of culture, incorporating a large array of activities beyond artistic practices - from health and caring to community issues. The code of colors, filters and tags on the website helps to navigate through this entanglement of people and initiatives. Porous, mutant and critical, the programming allows the institution to structure itself without becoming rigid, to reinvent itself without growing precarious, to internationalize without giving up its local relevance, that is, in order to experiment with other forms of existence.

Regular activities

Courses
We strive to offer a lineup of courses that pique interest in the neighborhood and in Casa do Povo’s groups in residence, based on original and accessible practices (for those who offer, those who welcome and those who attend).


Study groups
In dialogue with the institution's axes, the study groups have various operational modes, some focused on internal processes, discussions and readings and others capable of overlapping into public events programming.

Projects

Commissioned works
Casa do Povo invites artists to develop new works, adapting its physical structure and guaranteeing the full operational existence of each project held here.


Publications
Each publication is understood as an extension of the projects developed and as a part of the events schedule.


Platforms
Combining processes and results, discourses and actions, artistic and academic work, Casa do Povo promotes encounters based on specific themes according to the urgent issues of the day.

Hosted events

Groups in residence can promote public activities that become part of the events schedule. Deliberately discontinuous and fluid, these activities establish close dialogues with the institution's work axes and help make Casa do Povo larger than it is, overflowing with community life.


Projects and proposals can be sent to info@casadopovo.org.br for assessment. At the same time, with the intention of encouraging this movement, an annual open call dedicated exclusively to collective practices has been launched.


Learn how to use the space.

  • Filter
  • Regular activities
  • Commissioned works
  • Publications
  • Hosted events
  • Past events
  • See all
Nossa Voz
Nossa Voz

Nossa Voz is a publication by Casa do Povo. Literally “Our Voice,” the newspaper existed alongside the institution from 1947 to 1964, with texts in Yiddish and Portuguese and an editorial profile aligned with left wing ideals. It was shut down by the military dictatorship, which forced editor-in-chief Hersch Schechter and other contributors into exile. Relaunched in 2014, it continues to dialogue with its historical premises while rethinking its editorial directives.


The editorial committee relies on representatives from a wide variety of areas, meeting regularly to discuss issues concerning the city, memory and artistic practices according to the current political situation.

The publication is distributed free of charge and can be obtained at Casa do Povo during hours of operation, at partner institutions and some commercial establishments in the neighborhood of Bom Retiro in São Paulo.


Access recent issues below.

Click here to see old issues of Nossa Voz (1947-1964)