Programação
Nossa voz

A programação da Casa do Povo amplia a noção de cultura, incorporando, além das práticas artísticas, diversas atividades como práticas corporais e de cuidado com a saúde. O código de cores, filtros e tags no site auxiliam a localização desse emaranhado de pessoas e iniciativas. Porosa, mutante e crítica, a programação permite que a instituição possa se estruturar sem se engessar, reinventar-se sem se precarizar, internacionalizar-se sem perder sua atuação local, para, enfim, experimentar outras formas de existência.

Atividades regulares

Cursos
Busca-se oferecer uma programação que desperte interesse no bairro e no Povo da Casa, a partir de práticas originais e acessíveis (para quem oferece, para quem acolhe e para quem frequenta).

Grupos de estudos
Em diálogo com os eixos de trabalho da Casa do Povo, os grupos de estudo têm modos de funcionamento diversos, alguns focados em processos, discussões e leituras internas e outros capazes de se desdobrarem em programações públicas

Projetos

Obras comissionadas
A Casa do Povo convida artistas para desenvolverem trabalhos inéditos, adaptando sua estrutura física e garantindo a existência plena de cada projeto que realiza.

Publicações
Cada publicação é entendida como uma extensão dos projetos desenvolvidos e como parte da programação.

Plataformas
Mesclando processos e resultados, discursos e gestos, produção artística e acadêmica, a Casa do Povo promove encontros sobre temas específicos em consonância com as urgências do presente.

A Casa acolhe

O Povo da Casa pode promover atividades públicas que integram a programação. Propositalmente descontínuas e flutuantes, essas atividades dialogam de forma estreita com os eixos de trabalho da instituição e ajudam a Casa do Povo a ser maior do que ela mesma, transbordando vida comunitária.

Projetos e propostas podem ser enviados para o e-mail

info@casadopovo.org.br e serão avaliados. Paralelamente, com o intuito de incentivar esse movimento, abre-se uma chamada aberta anual destinada exclusivamente a práticas coletivas.

Saiba mais como usar o espaço.

Se minha biblioteca publicasse

Inscrições até 14 de novembro / Atividade online

Estão abertas as inscrições para a oficina online Se minha biblioteca publicasse, com o Publication Studio São Paulo. A proposta integra o projeto Arquivo em movimento, uma parceria da Casa do Povo com  os artistas Mariana Lanari e Remco van Bladel, que se desdobra em uma programação entre novembro de 2020 e julho de 2021.

TAIB 60 anos Envie sua história!

A história de 60 anos do TAIB não está só nas fotos e documentos do arquivo da Casa do Povo, mas também na memória de cada uma das pessoas que frequentaram o teatro nos seus anos de glória e de decadência. Participe da construção coletiva do arquivo sobre o TAIB. 

Círculo de Reflexão sobre Judaísmo Contemporâneo #33 Com Sylvio Band

24 de outubro, sábado, 16h / Encontro online

Parte da celebração dos sessenta anos do TAIB e de sua reabertura em cenário próximo, o 33º Círculo de Reflexão recebe como mediador Sylvio Band, ator e diretor de teatro veterano, que foi parte integrante da história do teatro através de sua participação ativa nos palcos e também da relação próxima com a cultura iídiche em São Paulo.

Produção de sabão com óleo de cozinha usado

Saiba como ajudar

Toda semana um grupo de mulheres se reúne no espaço da Casa Do Povo para produzir sabão feito com óleo de cozinha usado doado pela vizinhança.

Rádio ânsia

Acesse todos os programas

Rádio ânsia é uma plataforma de encontros sobre ecologias kuir. Um projeto da Universidad Desconocida (UU) com a Casa do Povo.

Chamada aberta: Escola do Shofar Yael Bartana / Kunstenfestivaldesarts (Bélgica)

Inscrições até 18 de setembro / 2020

A Casa do Povo se associa ao Kunstenfestivaldesarts (Bruxelas, Bélgica) e à artista Yael Bartana para revistar a tradição do shofar em uma série de quatro encontros que acontecem remotamente no mês de outubro. Saiba mais.

Clínica Aberta de Psicanálise Atendimentos em grupo ONLINE

Sábados, às 11h / via Google Meets

A Clínica Aberta de Psicanálise passa a acontecer em um novo formato. Dado o contexto da pandemia do covid-19, os atendimentos, antes individuais e presenciais na Casa do Povo, passam a ser coletivos, na forma de roda de conversa em grupo pelo aplicativo do Google Meets.

Programação suspensa no ar

A programação suspensa no ar segue sem uma grade fixa, deixando espaço para respiros, na tentativa de acompanhar e refletir sobre as incertezas porvir. Disponível toda semana nos canais da Casa do Povo. Saiba mais.

Panos pretos Julio Villani

Para download

O artista Julio Villani cedeu para Casa do Povo as artes da série Panos pretos, que pintou para a intervenção realizada no final de maio de 2020, nas grades da Embaixada do Brasil em Paris. Os cartazes estão disponíveis para download.

Nossa Voz #1020

Leia online / 2020

A nova edição do jornal Nossa Voz é a continuação — e o desdobramento no papel — de uma série de ações e reflexões, construídas a partir da noção do comum que, de maneira pouco nomeada, guia a Casa do Povo há tantas décadas e, em especial no ano de 2019.

Jardim

O jardim da Casa do Povo é um processo coletivo que começou em 2018 baseado na proposta desenvolvida pelo artista e agroecologista Fernando García Dory, membro do INLAND-Campo Adentro, em diálogo com os coletivos da Casa do Povo, vizinhos e interessados.

A Dívida Impagável Denise Ferreira da Silva

Publicação para download / 2019

A Dívida Impagável, de Denise Ferreira da Silva, é uma publicação organizada pela Oficina de Imaginação Política com o apoio da Casa do Povo. O lançamento aconteceu em dezembro de 2019. Disponível para download.

Andar de cima Renata Lucas

Obras comissionadas / 2018

A obra Andar de cima (2018), de Renata Lucas, foi criada no entre turnos das eleições de 2018 como parte da mostra-manifesto Rejuvenesça!.

Almofadas pedagógicas Traplev

Obras comissionadas / 2019

As Almofadas Pedagógicas criadas por Traplev são dispositivos pedagógicos de re-alfabetização política que trazem registros, em imagem e texto, de diversas mobilizações populares do país, através de seus personagens, causas sociais e fatos históricos.

Assim elas comemoram a vitória Yael Bartana

Obras comissionadas

Assim elas comemoram a vitória é um neon que ocupa o hall de entrada do prédio da Casa do Povo criado pela artista isralense Yael Bartana a partir de uma pesquisa pelo arquivo da instituição.

Biblioteca

A Biblioteca materializa uma série de convivências invisíveis e saberes coletivos que acontecem diariamente na Casa do Povo, colocando em um mesmo lugar práticas que normalmente acontecem em tempos e espaços separados.

50 tons de vermelho Rodrigo Andrade

Obras comissionadas

50 tons de vermelho (2018) traz variações dessa cor que, no campo político, alude historicamente a movimentos progressistas. A presença visual da obra também deixa rastros que contam sobre seu processo de realização.

Publicação: Assim elas comemoram a vitória

Leia online / 2017

A publicação, coeditada com as Edições Aurora, é um desdobramento do trabalho de Yael Bartana criado a partir de uma pesquisa da artista pelo arquivo histórico da Casa do Povo.

Audioguia Passeio sonoro pelo Bom Retiro

Available on any smartphone with internet access / Regular activity

O trajeto de 55 minutos do audioguia começa e termina na Casa do Povo e percorre esquinas e ruas, comércios tradicionais, sinagogas e construções significativas para a história do bairro.

Metacozinha Vitor Cesar e Carol Tonetti

Obras comissionadas

A Metacozinha (2016) é o resultado de ideias e desejos que surgiram coletivamente: um espaço de descanso, um lugar de encontro, um suporte de objetos, um display para revistas, uma estrutura flexível, um objeto que se revela e se oculta.

Nossa Voz

Nossa Voz é uma publicação da Casa do Povo. O jornal existiu junto à instituição, de 1947 a 1964, com textos em ídiche e português e um perfil editorial alinhado aos ideais de esquerda. Foi fechado pela ditadura militar, obrigando o seu editor-chefe Hersch Schechter e outros colaboradores a se exilarem. Foi relançado, em 2014, mantendo um diálogo com as suas premissas históricas e tendo seus eixos editoriais repensados.

O comitê editorial conta com representantes das mais diversas áreas e se reúne regularmente para discutir as pautas que levam em conta a cidade, a memória e as práticas artísticas em consonância com a situação política atual.

A publicação tem distribuição gratuita e pode ser retirada na Casa do Povo durante o horário de funcionamento, nas instituições parceiras e em alguns estabelecimentos comerciais do bairro do Bom Retiro em São Paulo.

Acesse  as edições recentes abaixo.
Clique aqui para ver as edições antigas do Nossa Voz (de 1947 a 1964).

Leia online