Performances Sonia Sobral e Fernanda Silva

A Casa do Povo acolhe duas performances, Involuntários da Pátria, de Sonia Sobral, e É impossível estuprar uma mulher cheia de vícios, de Fernanda Silva.

Involuntários da Pátria
Sonia Sobral

17 abril de 2016, instauração do processo de impeachment de Dilma Rousseff, pelos deputados federais; 20 de abril de 2016, o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro profere uma aula pública nas escadarias da Câmara Municipal do Rio de Janeiro; julho de 2016, Sonia Sobral e a artista transexual Fernanda Silva se encontram numa residência artística no Campo Arte Contemporânea, em Teresina, e transmutam em performance uma aula pública de Viveiros de Castro.

Duração 30 minutos

É impossível estuprar uma mulher cheia de vícios
Fernanda Silva, uma performer King Kong

"Estupro, uma violência quase nunca mencionada se não há um caso de repercussão na 'grande midia'.  Sou uma performer faminta por processos criativos instigantes que sejam capazes de alimentar minha alma com mais vontade de vida. Teoria King Kong (N-1 edições) alcançou minhas mãos através de Sonia Sobral, como que num bom pressentimento de que a voz de uma performer transexual encontraria ressonâncias no feminismo de identidade punk da escritora francesa Virginie Despentes. Esta performance é um grito sussurrado, mas é um grito. Forma única de dar significado a uma dor sem nome."
 

Duração 30 minutos



Involuntários da Pátria, de Sonia Sobral e
É impossível estuprar uma mulher cheia de vícios, de Fernanda Silva

17 de abril, 19h30
Terça 
Ingressos R$20

 Haverá um intervalo entre as apresentações com venda de bebidas
Acesso somente por escadas